Morro de São Paulo entre amigos

Adoro viajar. E fazer isso com amigos é sempre mais prazeroso. Eu havia estado em Morro de São Paulo em 2005 e 2007 e achei tudo bem diferente agora. As antigas ruas de terra, hoje já estão calçadas. Amigos muito próximos me acompanharam desta vez. O Paulo, praticamente meu irmão, o Márcio, que já esteve lá ao menos umas cinco vezes e a Clarisse, minha amiga desde os anos 70. Nós duas nascemos no mesmo dia e na mesma maternidade e este ano queríamos comemorar mais um aniversário, 13 de fevereiro, juntas. Aliás, eu sempre procuro passar o meu aniversário viajando.

Morro de São Paulo é uma vila com praias e paisagens paradisíacas. O acesso é feito apenas por barcos ou avião. Nas primeiras vezes que fui fiz o percurso de avião, mas desta vez escolhemos ir de barco e foi uma experiência maravilhosa. Duas horas de catamarã naquele mar inesquecível. Pegamos lugares bem na frente, com aquela água respingando na gente e nos lembrando de agradecer a cada minuto.

Na ilha não circulam carros, o transporte é feito em carros de mão. É realmente um lugar especial para relaxar e conviver com as maravilhas da natureza. Nas primeiras vezes que fui fiquei na Segunda Praia, que hoje, assim como o centrinho, é o lugar do agito. Queríamos um clima natureza e por isso escolhemos ficar em uma pousada na Quarta Praia. Foi incrível. Para ir à praia ou ao centro da vila, íamos de transfer e passávamos pelo vilarejo onde os locais moram de fato, então conhecemos este outro lado, não só o turístico, o que foi bem interessante.

Morro de São Paulo é uma vila com praias e paisagens paradisíacas, longos coqueirais, mangues, mata atlântica, areia clara e águas calmas. A Quarta Praia é a maior delas, com 8 quilômetros de extensão e muita beleza natural. Pode-se aproveitar as piscinas naturais e, quando a maré está baixa, dá para ver os peixes.

Os passeios são outro ponto alto da região e indico muito um dos que fizemos, “Volta a Ilha”. É um tour pelas ilhas de Tinharé, onde se tem uma visão ampla do Arquipélago. Dura o dia todo e faz cinco paradas. Nas piscinas de Garapuá (Morro de São Paulo) e Moreré (Boipeba) há um bar em alto mar que serve bebidas e petiscos deliciosos. Depois continuamos até a Praia de Cueira, em Boipeba. Em seguida, em Boca da Barra, também na Ilha de Boipeba, paramos para almoçar e ali comemos a maravilhosa lagosta do Guido, a melhor da Bahia. Também fizemos passeios pelo mangue, Quinta Praia e Praia do Encanto.

Nosso roteiro foi todo desenhado com o conhecimento da Casamundi. Na ida e na volta ficamos um dia em Salvador e foi ótimo. Eu nunca havia estado algumas horas por lá, só em breves conexões. Quero muito voltar com mais calma, mas deu para sentir o gostinho. Conseguimos ir ao conhecido Mercado Modelo e explorar um pouco o Pelourinho. Conhecemos a Igreja e Convento de São Francisco. É impressionante a quantidade de ouro, e as imagens esculpidas também são de uma beleza ímpar. Saindo dali experimentamos o famoso sorvete da La Glacier e seus sabores inusitados. Dentre as 70 opções há raridades como: martinique (casca de laranja com pedaços de chocolate amargo e rum), carnaíba (acerola, limão e gengibre), e ainda os mais simples e saborosos coco, canela e pitanga. Para fechar com chave de ouro, seguimos para o Terreiro de Jesus e provamos as cachacinhas do bar O Cravinho.

Ficamos bem impressionados com os preços na Bahia. A pousada all inclusive na qual ficamos em Morro de São Paulo tinha valores excelentes para extras, com espumantes gaúchos e pratos para quatro pessoas. Comidas ótimas, macaxeira, frutos do mar, tudo super em conta. Uma curiosidade e algo que estranhamos nessa região tão turística foi a cultura de ainda se usar muito os canudos plásticos. Nós somos bem conscientes em relação a isso e levamos nossos canudos individuais de inox para curtirmos os sucos, coquetéis e batidas. Essa é uma dica legal para quem viaja.

Além do roteiro, as sugestões de dia a dia que a Casamundi dá para as viagens, no nosso caso em especial, a Virgínia, são fora de série, mesmo em uma viagem de puro relax como essa. O aplicativo também funciona muito bem. Recomendo muito esse roteiro e penso em voltar lá no nosso próximo aniversário.

Imagem de GuiAlvim por Pixabay 

Loraine é nutricionista e agora, aposentada, não depende de férias para poder viajar sempre que pode. Ela fez a primeira viagem com um grupo da Casamundi Cultura em 2016, em um roteiro de Portugal que incluía Ilha da Madeira. Também já embarcou na companhia do Tiago Halewicz para Rússia, Espanha e Polônia, e quer voltar para este último destino em breve.

Rolar para cima