Blog Casamundi

Bonito

por Juliana e Helier Balbinotti

Costumamos viajar em média duas ou três vezes ao ano. Entretanto, não nos importamos tanto com a quantidade, desde que ao menos uma dessas viagens seja ecológica. Eu e minha esposa, Juliana, amamos a natureza.

Em fevereiro deste ano viajamos pela primeira vez para Bonito/MS. Somos apreciadores das belezas naturais do Brasil e escolhemos este destino principalmente pelo contato com a natureza exuberante e paradisíaca. Foi uma experiência incrível, muito emocionante. Tanto que ao adentrar cavernas e rios fomos tomados por um sentimento de surrealismo, parecia que estávamos no cenário daqueles documentários do National Geographic. Sem contar as trilhas pelas cachoeiras. As águas mais cristalinas que já vimos na vida. E, para completar, a interação com animais silvestres ocorreu de maneira totalmente espontânea e natural.

Foram quatro dias intensos e maravilhosos, em um momento muito especial para nós, pois estamos “grávidos” e provavelmente foi nossa última viagem de casal sem filhos. Por este motivo, estávamos receosos e preocupados antes de embarcar, nos perguntando se teriam passeios propícios e 100% aproveitados por nós dois, sem nenhum tipo de risco ou restrição. Para nossa surpresa tudo foi muito tranquilo. Existem tantas opções de lazer e aventuras “leves” que fica até difícil optar por uma ou outra. A consultoria da Casamundi, desde o princípio, nos ajudou muito a escolhermos as melhores opções de acomodação, passeios, pacotes e voos. O que nos deixou bastante tranquilos e confiantes em relação à viagem. No total realizamos cinco passeios. Vou contar um pouco sobre cada um.

Gruta do Lago Azul: uma beleza sem igual, além de nos sentirmos em uma viagem no tempo histórico e geológico.

Estância Mimosa: um lugar lindo. Cercado por animais livres, onde podemos apreciar os mais diversos e belos cantos de pássaros e onde podemos “lavar a alma” em águas cristalinas de nada menos que sete cachoeiras. No percurso das trilhas e durante todo o passeio é constante nos sentirmos conectados à natureza.

Aquário Natural: como diz o nome, é simplesmente surreal, parece mesmo que mergulhamos em um aquário. E o mais surpreendente é a visão perfeita e límpida que temos dos peixes e a vegetação aquática maravilhosa que existe no local. Um verdadeiro jardim submerso!

Balneário do Sol: um lugar de lazer para passar o dia com a família, ótimo para levar crianças. Por lá, encontramos muitos macacos-prego, eles são super travessos e fazem a alegria das crianças e adultos no final do dia, quando costumam aparecer por lá de forma totalmente espontânea. Fora que interagimos com uma arara vermelha e tiramos muitas fotos lindas com ela.

Flutuação do Rio Sucuri: ficamos tão felizes com a flutuação do aquário natural que decidimos repetir a dose em um percurso um pouco mais longo. Simplesmente demais. Não é à toa que o rio é considerado o terceiro rio de água mais cristalina do mundo.

Recomendamos demais este destino. Bonito é um lugar que faz jus ao nome, e o melhor é que fica no nosso país. Além da natureza intocável e dos passeios diurnos, gostamos muito do centro gastronômico local, com diversas opções para todos os gostos. Foi onde experimentamos a tradicional carne de jacaré, que pode ser servida de diversas formas, na tábua, no espetinho e até em um delicioso pastel. Uma cidade muito turística e preparada para receber da melhor maneira possível. Tanto os guias quanto as agências de turismo nos deram um atendimento de primeira. Ficamos satisfeitos de verdade.

Bonito é uma cidade que voltaríamos a visitar com toda a certeza do mundo. Apesar de termos aproveitado muito os quatro dias de aventuras, ficamos com um gostinho de quero mais. Já estamos ansiosos para realizar mais viagens pelo Brasil afora, só que ao invés de um casal, seremos três viajantes aventureiros. E quem sabe nossos próximos destinos sejam lindas praias como Fernando de Noronha ou a paradisíaca Maragogi?

Imagem de Free-Photos por Pixabay 

Juliana é pedagoga e trabalha como professora de Educação Infantil. Helier é biólogo e trabalha como técnico de laboratório e professor de Ciências e Biologia.