55 51 3392-4283
| Borges de Medeiros 2500/1909 | Seg - Sex 9.00 - 18.00 |
Top
 
Casamundi Turismo / Sul da Itália

Sul da Itália

por Thirza Moreira

Em abril de 2018 realizei a viagem dos sonhos: sul da Itália! Um roteiro de 23 dias começando por Palermo, dando a volta pela Sicília, passando pela Reggio Calábria, Puglia, Basilicata, Costa Amalfitana, Pompeia e Herculano, e finalizando em Roma.

A ideia do roteiro e o convite surgiram dos meus sogros, Angelo e Lúcia. Se juntaram a nós mais a Tia Sílvia e o Vitor, meu namorado. A Fernanda, uma das proprietárias da Casamundi, foi quem desenvolveu com perfeição toda a logística e o itinerário. Contar com esse know-how faz toda a diferença em uma viagem. A nossa única preocupação foi curtir cada momento!

Palermo é uma cidade encantadora e cheia de história. É notável a influência dos fenícios, árabes, normandos e espanhóis nos hábitos, na arquitetura e na culinária siciliana. A partir dela, é possível fazer bate-volta a lindos vilarejos como Cefalú, Trapani e San Vito Lo Capo. Mas o lugar que ganhou meu coração foi Erice, uma cidadezinha medieval, toda de pedra, no topo de uma montanha, onde é possível chegar por meio de um teleférico. Lá tivemos a melhor experiência gastronômica de toda a viagem em um restaurante chamado: Gli Archi di San Carlo. Não só as deliciosas favas, massas e vinhos, mas o ambiente, a louça e o atendimento são de tirar o chapéu.

O Vale dos Templos em Agrigento é o maior símbolo do domínio grego na Sicília, com destaque para o Templo da Concórdia, um dos mais bem conservados da Magna Grécia.

No caminho para a nossa próxima base, uma parada na lindinha Caltagirone, conhecida pela tradição da cerâmica, que enfeita toda a cidade. Impossível resistir aos souvenirs.

Ragusa é outro ponto alto da Sicília. Berço da arquitetura barroca, a cidade renasceu após um terremoto em 1633. Perder-se por suas ruas, subindo e descendo escadas, passando por debaixo de arcos, é o melhor jeito de descobrir esse destino super fotogênico.

Para chegar à badalada praia de Taormina, ainda passamos por Noto, Siracusa e por Milo, aos pés do Etna. Cada uma com sua particularidade, seus próprios atrativos e sua culinária deliciosa.

Taormina está encravada nas encostas do Monte Tauro com vista para o Mar Jônico e para o vulcão Etna. Toda a cidade é cheia de vida em um cenário deslumbrante. Mas o que mais me encantou foi o Teatro Antigo, construído no século III a.C.. Além de ser lindo, a vista de lá é de arrepiar. Vale muito a visita!

De Taormina, nos despedimos da Sicília atravessando o Estreito de Messina de ferry boat em direção à Reggio Calábria. Passamos pelas belas praias de Scilla e Tropea, fizemos uma parada estratégica em Pizzo para degustar o famoso Tartufo, doce típico à base de sorvete, e seguimos para Cosenza.

De lá fomos para a Puglia, região de praias de um azul incomparável e da adorável Lecce, cidade universitária conhecida por sua arquitetura em pedra típica local, que deixa as construções com um tom dourado lindo. Na Puglia visitamos Brindisi, Gallipoli, Otranto, Ostuni, Polignano a Mare, Fasano, Conversano e Alberobello. Todas muito pertinho uma da outra, o que permite visitar mais de uma cidade no mesmo dia. Vale destacar o vilarejo de Locorotondo, com seu centro histórico branquinho e labiríntico e com vista para os vinhedos, um charme de lugar.

Já sentindo saudade da Puglia, nos deslocamos para Matera, cidade de pedra, cenário de vários filmes como “A Paixão de Cristo”, “Ben-hur” e “Mulher Maravilha”. Até o nosso hotel ficava encrustado nas rochas. Uma experiência única.

De Matera passamos pelo sítio arqueológico de Paestum, impressionante pelas obras de arte encontradas nas escavações, como a do sarcófago do mergulhador, e pela grandiosidade dos templos gregos ali descobertos.

De Paestum, dirigimos por toda a Costa Amalfitana até chegarmos a Sorrento, serpenteando por aquelas encostas estreitas. Mas, com toda a certeza, a paisagem compensa qualquer frio na barriga.

A partir de Sorrento fizemos um passeio até a Ilha de Capri. Apesar da fama de sofisticação, a ilha oferece atrações para todos os bolsos, como os Jardins de Augusto e a Igreja de San Michele, imperdível por seu notável piso de cerâmica decorada.

Nossa última parada antes de seguir para Roma foi Pompeia e Herculano, impressionante museu a céu aberto que conta a história de duas cidades devastadas pela erupção do vulcão Vesúvio.

Finalizamos essa jornada incrível em Roma, uma das minhas cidades favoritas. Aproveitei para visitar lugares que ainda não conhecia, como o Museu Vaticano, o Castelo de Sant’Angelo e a Villa Borghese.

Os hotéis foram um atrativo à parte na viagem. As escolhas da Fernanda foram certeiras. Todos muito bem localizados, confortáveis e sempre com uma surpresa agradável, como a cúpula da Igreja San Giuseppe dei Teatini, que só era possível ver da sacada interna do nosso quarto; e em Locorotondo nos sentimos como locais, hospedando-nos em um autêntico trullo, que é uma construção de pedra com telhado cônico, um estilo arquitetônico típico da região.

Foi uma viagem intensa, mas muito bem aproveitada, apreciando paisagens lindas, me aprofundando na história dos lugares, degustando comidas maravilhosas e tudo isso em excelentes companhias.

Gerente geral da Casamundi Turismo e Cultura, Thirza já foi para o México com grupo acompanhado por Tiago Halewicz, visitando a Cidade do México e San Miguel de Allende. Também pelaCasamundi, viajou com o namorado para a Colômbia, conhecendo Bogotá, Cartagena e Medellin. Ainda tem muitas outras viagens na bagagem e em sua lista de desejos, como o Norte da Itália.