55 51 3392-4283
| Borges de Medeiros 2500/1909 | Seg - Sex 9.00 - 18.00 |
Top
 

Praias uruguaias

Casamundi Turismo / Praias uruguaias

Praias uruguaias

por Fernanda Dora

Esses dias uma amiga, que não vou contar quem é, comentou que apesar de gostar muito das praias uruguaias, elas eram muito diferentes das nossas de Santa Catarina e Brasil afora. Eram cenários de inverno para serem curtidos com um vinho, com sua beleza, sim, mas sem um mar e clima tão convidativos e praianos como os nossos. Realmente, às vezes fica difícil entender como as pessoas escolhem ir para lá, enquanto temos cartões postais tão próximos da gente. Confesso que ela me fez pensar, pois o que disse era pura verdade. Refletindo, me dei conta que as viagens estão muitas vezes dentro da gente e procurei os motivos que me levam a me sentir tão bem por lá.

Esses dias uma amiga, que não vou contar quem é, comentou que apesar de gostar muito das praias uruguaias, elas eram muito diferentes das nossas de Santa Catarina e Brasil afora. Eram cenários de inverno para serem curtidos com um vinho, com sua beleza, sim, mas sem um mar e clima tão convidativos e praianos como os nossos. Realmente, às vezes fica difícil entender como as pessoas escolhem ir para lá, enquanto temos cartões postais tão próximos da gente. Confesso que ela me fez pensar, pois o que disse era pura verdade. Refletindo, me dei conta que as viagens estão muitas vezes dentro da gente e procurei os motivos que me levam a me sentir tão bem por lá.

Mais tarde, meus pais viriam a morar lá. E pelos cálculos de um dos meus irmãos, engenheiro capaz de calcular tal coisa (e artista visual, ele me mata se não falo isso), foi em visitas ao Uruguai que geramos nossos dois filhos, Otto e Sebastião. E depois veraneamos em Punta del Este com a família, quando o Otto tinha um ano.

Pra completar toda essa relação emocional, em 2014 tive uma doença rara e uma amiga nos convidou para passar o Ano Novo de 2015 na praia de San Antonio, próxima a La Pedrera, para comemorar minha cura. Foi então que conheci a Casa Calmo, lugar lindo e que nos fez parar no tempo. Uma praia deserta e inteira para a gente, em pleno reveillón. Soltamos pipa, fazíamos nosso próprio pão, montamos barracas e curtimos a natureza, que nos permitia até fazer parrilla em fogo de chão no quintal de casa.

Recém no verão de 2018, viajei pela Casamundi para conhecermos Punta del Diablo. Confesso que nunca me chamara a atenção e acabamos nos apaixonando. Fomos encontrar uns amigos que moram na Suíça e vinham com a filha passar as férias por lá. Viajamos de ônibus à noite, pois tínhamos poucos dias e não queríamos gastar nenhum deles na estrada, mas ir de carro é muito prazeroso também, uma ótima opção. Ficamos num lugar lindo, ermo e com uma pegada bem eco, na Praia da Viúva, rodeada de pinheiros. Pela beira do mar, em poucos minutos chegávamos ao centrinho, para compras de super e para passar algum dia com aula de surf e comendo as delícias de frutos do mar servidas na Praia dos Pescadores, em mesas na areia. Ali, a água também é menos gelada e se ouve todo o tipo de idioma, pois o trânsito de estrangeiros é bem expressivo.

No Uruguai, o tempo parece parar, as horas passam de forma diferente e o povo é de uma verdade, cultura e simplicidade ímpares. Queríamos ter este tempo e ritmo com nossos amigos, que seguiram para Cabo Polônio, um lugar preservado, onde se sente ainda mais tudo isso. Aliás, quem quiser pode seguir para lá, em algum roteiro desenhado pela Casamundi Eco.

Dora é consultora de viagens na Casamundi Turismo e assessora de imprensa na Casamundi Cultura. Escreveu o primeiro guia de Montevidéu para brasileiros e passou por vários países da América Latina, além de Estados Unidos, Itália, Áustria e Alemanha. Este ano, sonha voltar ao Peru e fazer o Caminho de Santiago de Compostela, nos grupos especiais da agência.