55 51 3392-4283
| Borges de Medeiros 2500/1909 | Seg - Sex 9.00 - 18.00 |
Top
 
Casamundi Turismo / Visitando Paris e Lyon em dupla

Visitando Paris e Lyon em dupla

por Leonor Souto Ribeiro e Loraine Scholz Gomes

Já são vários anos viajando juntas, tanto sozinhas como em grupo. Paris é uma paixão em comum e sempre brincamos quando conhecemos uma nova cidade “é linda, mas não é Paris”. Desta vez o que nos motivou a viajar foi a exposição digital das obras de Van Gogh no Atelier des Lumières. Depois desta experiência mágica de imersão nas produções mais significativas do pintor holandês, nos dedicamos às exposições temporárias – quesito no qual Paris nunca decepciona. Visitamos “A Idade de Ouro da Pintura Inglesa” no Museu de Luxemburgo, com obras do acervo da Tate Britain de Londres; “Berthe Morisot”, no Museu d´Orsay, uma retrospectiva da obra desta excepcional pintora impressionista e, ainda, “Mondrian Figuratif”, no Museu Marmottan. E visitamos novamente o Museu Clunny, com seu maravilhoso conjunto de tapeçarias “A Dama e o Unicórnio”.

Entre uma exposição e outra, nos dedicamos a “flanar” pela cidade e desfrutar de seus belíssimos parques, sendo nosso favorito o Jardim de Luxemburgo. Tivemos a oportunidade de participarmos da “Manifestação Mundial Pelo Clima”, com milhares de manifestantes, a maioria estudantes. E também estávamos lá na inauguração do “Jardim Marielle Franco”, uma homenagem da Prefeitura de Paris, que contou com a presença de muitos franceses e brasileiros.

Lyon entrou no nosso imaginário a partir de uma série de televisão francesa “Capitão Sharif”, que se passa nesta charmosa cidade, e isso foi reforçado também após uma atividade na Casamundi Cultura, o “Comida e Cidade”. Decidimos, então, conhecê-la. Localizada na confluência dos rios Saône e Rhone, é a terceira maior cidade da França e sua história está intimamente ligada à Rota da Seda. Visitamos as principais atrações: o centro histórico Vieux Lyon, Patrimônio Mundial pela UNESCO; a Basílica Notre Dame de Forvière, com magníficos mosaicos; a Casa dos “Canuts”, trabalhadores da seda; o Museu  dos Tecidos; o Museu  de Belas Artes; o Museu da História da Resistência; o Parque Tête d´Or e seu “les murs des canuts”: 1.200m² de pintura a céu aberto, representando a vida dos “canuts”, operários que teciam a seda; e os “traboules”, passagens secretas entre os prédios.

O destaque foi o novíssimo Museu da Confluência, localizado no local de encontro dos dois rios que cortam a cidade. A arquitetura arrojada, com muito vidro, permite uma vista maravilhosa da cidade, e seu acervo de História Natural é exposto de forma inovadora, propondo muitas leituras e questionamentos. Consideramos imperdível.

Para o planejamento da viagem, contamos com o atendimento da querida Virgínia, da Casamundi Turismo, que cuidou de todos os detalhes com muito carinho e competência.

Leonor Souto Ribeiro é médica e Loraine Gomes é nutricionista. Ambas aposentadas, já estão pensando na próxima viagem juntas, que será para a Polônia, em setembro de 2020, na companhia de Tiago Halewicz.