Canadá

[mkdf_section_title title_text_transform=”capitalize” title_text_align=”center” title_size=”medium” title=”Canadá” title_color=”#b5001e”][mkdf_section_subtitle text_align=”center” text=”por Tiago Daltoé”]

Eu e a Grazi, minha mulher, costumamos viajar duas vezes ao ano. Já visitamos 20 países, sempre conhecendo as principais cidades. O Canadá estava há horas na nossa lista, e dessa vez achamos que era um lugar amigável para levar um bebê de um ano. Agora nosso filho Caetano é um grande companheiro de aventuras e nos leva a descobrir o mundo com mais este olhar, um privilégio. Então, em abril deste ano, embarcamos para explorar Montreal e Quebec.

O Caetano é muito tranquilo em viagens, aguenta bem os aviões e, se estiver no carrinho passeando, não tem tempo ruim pra ele. O Canadá é um lugar muito interessante, a Costa Leste é uma mistura do dia a dia americano com a língua e alguns costumes franceses, vale muito a visita.

Ficamos encantados com a atmosfera de Quebec, a cidade tem uma arquitetura muito interessante e a escolha do nosso hotel foi espetacular. Ficar no Le Château Frontenac foi maravilhoso. Quebec tem um charme particular, é muito agradável de se visitar.

Falando em hospedagem, é curioso que as piscinas térmicas dos hotéis ficam em ambientes extremamente bem aquecidos, mas a temperatura da água é bem baixa, ou seja, praticamente fria, lembrando que a gente está no Canadá. E isso não foi só nos locais em que ficamos, pois conversei com o salva-vidas de um dos hotéis (sim, eles têm todo esse cuidado lá) e ele me garantiu que essa é a regra, o usual.

Montreal é uma metrópole muito interessante, com um sem número de atrações e opções gastronômicas. Temos particular interesse nessa área, é nosso hobby. Mesmo atuando como médico e advogada, eu e a Grazi temos um blog, o Punto Menos, onde eu cozinho e a Grazi fotografa, ela é excelente nisso.

Nossa dica em Montreal é não deixar de visitar um museu pequeno e não tão valorizado em relação aos demais, o McCord Museu Nacional de História. Ele é muito interessante e nos ensina sobre a história do povo do Canadá. Foi criado em 1921, por um apaixonado colecionador que desejava lançar luz sobre a cultura e história do país, dando raízes às pessoas. David Ross McCord já tinha uma coleção que começou a ser montada por sua família desde que chegaram ao Canadá. Então, em 1878, começou a incrementá-la e andava por todo o país em busca de objetos historicamente significativos.

Há muito o que fazer no Canadá, e quando o clima está bom, como quando fomos, é possível caminhar por tudo e descobrir este país tão múltiplo. Vale a pena viajar até lá. Não faltam museus, parques, igrejas e atrações. A programação cultural também é muito rica. Quando as distâncias são maiores, o transporte público é excelente e pontual.

Nós gostamos muito de planejar nossas viagens com a Casamundi. A Catiane Marques, agente que nos atende há anos, é quem nos trouxe para cá. A equipe é muito atenciosa, resolve todo tipo de problema e organiza tudo de maneira muito personalizada. Bom, não somos de escrever muito, mas acho que as fotos contam bastante dessa nossa imersão canadense.

Imagem de Aurore Duwez por Pixabay 

[mkdf_image_gallery type=”image_grid” column_number=”2″ spacing=”medium” hover_click_action=”none” grayscale=”no” images=”27648,27649,27650,27651,27653,27654,27655,27656″ image_size=”600×400″]
[mkdf_separator position=”center”]

Tiago Daltoé, Graziela Martins e Caetano Martins Daltoé moram em Caxias do Sul, RS, e amam viajar e passar esses momentos juntos. Os próximos lugares que querem conhecer são Escandinávia, Suíça, País Basco, África do Sul e Egito.