55 51 3392-4283
| Borges de Medeiros 2500/1909 | Seg - Sex 9.00 - 18.00 |
Top
 
Casamundi Turismo / Algarve, Puglia e Calábria

Algarve, Puglia e Calábria

por Gildo Russo

Uma das melhores coisas do mundo é viajar. O bom é que esse mundo é muito grande e tem muito lugar para visitar. Fazemos duas viagens de 15 a 20 dias por ano, e preferimos as estações de temperaturas mais amenas e fora da alta temporada de turismo. Vou contar desta última viagem que fizemos em quatro pessoas. Minha namorada, Karla Luzzi, sua irmã, Rossana, e meu sogro, Sr. Pascoal. Eu, Karla e Rossana viajamos de férias juntos desde 2013. O Sr. Pascoal se juntou a nós no último ano, quando visitamos a Turquia, e agora repetimos a turma nesse tour.

Iniciamos nosso roteiro pelo Algarve, região que sempre tivemos curiosidade de visitar. E incluímos Puglia e Calabria, por questões sentimentais e familiares.

Chegamos em Lisboa. De lá partimos de carro para Lagos e ali fizemos nosso ponto de partida para visitar o Algarve. Esta é uma ótima cidade para ser utilizada como base para explorar a região, pois tudo é muito próximo e de fácil deslocamento. Porém, por mais que você possa se deslocar de carro, nada se compara às belas paisagens que poderá desfrutar fazendo passeios pelo mar.

De Lagos até Faro são cerca de 100 km. A partir de Lagos é possível fazer passeios lindíssimos de barco para visitar as praias e grutas da região, e também ir até a Gruta de Benagil. Uma característica da lá é que grande parte das casas são pintadas de branco, que combinado com as falésias e com o lindo mar, criam um cenário deslumbrante.

O Algarve já havia despertado nosso interesse, pois nos últimos anos sempre há uma praia da região indicada como uma das mais bonitas da Europa. O litoral é realmente lindo, com falésias e um mar deslumbrante. O destaque por lá ficou por conta das praias de Dona Ana, Camilo e Ponta da Piedade (Lagos), Cabo de São Vicente, Marina de Vilamoura, Praia da Falésia (Albufeira), Praia do Carvoeiro e da Marinha (Lagoa).

De lá voltamos a Lisboa, onde fizemos uma rápida parada para matar as saudades da capital lusa. E, então, pegamos um voo para Roma. Havia um interesse familiar quanto a Puglia e Calabria, pois de lá vieram os avós do Sr. Pascoal, bisavós da Karla e da Rossana. Sem falar que há muito tempo tínhamos desejo de conhecer Polignano a Mare.

Então, de Roma, nos deslocamos de carro por quase 500 km em direção à Bari, e começamos o roteiro pela Puglia. Usamos também como base Polignano a Mare, a cidade mais linda da região, na nossa opinião, além de Lecce. Polignano a Mare fica a menos de 40 km de Bari e 100 km de Lecce. Possui um centro histórico pitoresco, e parece que voltamos ao passado. Há uma excelente infraestrutura de restaurantes e bares. A praia é uma das mais lindas que visitamos, a integração da natureza com as construções é perfeita. Visitamos Alberobello, Locorotondo, Ostuni e Monopoli. Outro ponto muito interessante é a região de Otranto, onde pudemos visitar a Grotte della Poesia.

Por último, visitamos a Calabria, usando como base Cosenza, Tropea e Reggio di Calabria. De Cosenza pudemos visitar Paola. Nesta região, a cidade que mais nos encantou foi Tropea. Ela é considerada a Pérola do Tirreno e faz jus ao título que recebeu. É um pedacinho do paraíso no meio do caos das construções calabresas. À noite, a vida é intensa no centro histórico.

O bom das viagens são os apertos que às vezes passamos e que depois viram histórias ótimas para se contar. Desta vez, a chegada em Polignano a Mare foi uma aventura. Pensávamos que poderíamos chegar de carro até o hotel, porém ele ficava localizado no centro histórico, onde o tráfego é limitado e não se pode circular de carro. Por sorte encontramos um carabineri, que muito simpaticamente nos recomendou ligar para o hotel, que nos indicou um ponto de encontro em um estacionamento público próximo a um pequeno restaurante. Enquanto esperávamos, começou a chover torrencialmente. Dez minutos depois, surgiram dois rapazes dirigindo tuk-tuks para nos levar até o estacionamento privado. Lá, estacionamos o carro e embarcamos com as malas nos tuk-tuks.
Pensávamos que o pior já havia passado e que nos levariam até o hotel. Porém, nos deixaram no portão de entrada do centro histórico, onde 10 minutos depois viriam outros dois rapazes para nos ajudar com as malas e nos levar a pé até o hotel, debaixo de chuva. Apesar de tudo, passamos ótimos momentos por lá, e depois de acomodados, demos boas risadas com a história, embalados a um bom vinho da região da Puglia, feito da uva Primitivo.

Essa viagem foi demais. Os dias foram ótimos. As cidades pequenas nos permitem conhecer os lugares de forma tranquila, sem grandes tumultos e correria. Sem falar que é possível entrar no ritmo da siesta depois do almoço, pois em grande parte das cidades o comércio fecha entre 13h e 16h. As culinárias portuguesas e italianas são excelentes, e nestas regiões se pode comer frutos do mar frescos e deliciosos, além dos pães, queijos e embutidos que só eles sabem fazer. O frescor de tudo é mágico, como as deliciosas alcachofras italianas.

Três cidades nos encantaram nesta viagem. Lagos, onde pudemos fazer um passeio de barco e explorar as grutas da região. Polignano a Mare, pela perfeita harmonia entre a natureza e a linda arquitetura da cidade. E Tropea, onde conseguimos curtir a praia, com um mar incrível, e uma cidade pequena e muito acolhedora. De forma geral, a acolhida do povo português e italiano te fazem sentir em casa.

Recomendamos muito esse destino. É um roteiro para fugir das grandes cidades, sem deixar de desfrutar um pouquinho das capitais, e curtir o interior com as suas peculiaridades. Há coisas que só é possível ver por lá, como as mamas italianas fazendo orecchiette – massa típica da região – em suas casas com as portas abertas. Também tivemos a oportunidade de ser recebidos por uma mama para um almoço feito na hora nos fundos de seu armazém: uma boa massa carbonara, utilizando os ingredientes frescos do seu pátio. As mamas são ótimas, elas decidem o que vamos comer.

Outra dica que posso dar é que a Majo e a Casamundi são essenciais para todas as viagens que fazemos. A Majo é sempre atenciosa com todos os detalhes e nos dá segurança quando estamos viajando. Sempre atenta a possíveis alterações de voo. E sempre cuidando da validade dos nossos passaportes e do seguro viagem. Acaba que sempre temos vontade de voltar aos lugares que visitamos, que gostamos e passamos bons momentos.

Imagem de ddzphoto por Pixabay 

Gildo, Karla e Rossana trabalham no mercado financeiro e, em uma viagem que fizeram ao Canadá em 2016, listaram os destinos de desejos para as próximas férias. Dentre eles, estão Escandinávia, Austrália, Nova Zelândia, Japão, Maldivas, Tailândia, a região de Bordeaux, na França, norte da Espanha, a África do Sul e Seychelles, entre outros.